Festas das Alunas – encontro, incentivo e empoderamento

Nos dias 29/agosto e 25/outubro, realizamos duas festa de mulheres corajosas estudantes de dança árabe.  
Nestes encontros, havia bailarinas de todas as tribos, idades, algumas faziam 06 meses de aula, outras 02 anos, outras 10 anos. Elas trouxeram tudo prontinho: música, figurino e as mais variadas modalidades de dança oriental: clássica, moderna, balady, percussão e andaluz. Contamos com as minhas alunas e também grupos de alunas das minhas alunas e grupo de alunas do estúdio Munira Magharib. 

Algumas destas mulheres têm a intensão de profissionalização, outras já são profissionais de dança e contavam com a presença de suas alunas na platéia, como foi o caso de Nafissa Souad e Malaika. Outras não têm nenhuma pretensão de se tornar profissional. Porém, todas compartilhavam de uma coisa linda: a vontade de tirar a bailarina da “caixinha” e colocá-la na mais absoluta verdade em cena. E o apoio do grupo e das pessoas presentes é um incentivo, um empoderamento. 

Puderam sentir na pele o glamour e os dessabores da vida de bailarina: os ensaios, a ansiedade pela chegada da dia, a produção (que pra mim é uma afirmação de presença, um ato de fé na vida e amor próprio), o investimento na hora comprar o figurino mais bonito, o acessório que mais enfeitava “seu sonho”… afinal, qual sonho não precisa de investimentos variados pra acontecer? Força na peruca e brilho nas lantejoulas!
Sentiram o glamour das luzes, a intensidade da troca com os espectadores, a rapidez com que aquele momento acontece e, ao final, o êxtase de materialização dançada de seus preparos ousados. 

Há aquelas que não alcançaram o êxtase esperado:  sentiram a frustração do esquecimento da coreografia ou simplesmente não fluiu… uma oportunidade para lidarmos com as frustrações e a auto-crítica, pois estas muitas vezes minam nossa força de bailarina e de mulher.

Com total liberdade de trazer a tona as suas danças e sentirem o quanto a dança imita a vida e pra ela nos fortalece, fizeram um show lindo. E a felicidade de acompanhar a evolução dessas gurias e abraçar cada uma delas ao final tirou o melhor dos meus sentimentos. 

Confira algumas das fotos de Jay Andreotti e Rodrigo Villani.